Sobre

Sou insuficiente renal! Para quem não sabe, vivo sem rins!

Ora esta doença apareceu quando eu tinha 35 anos sem aviso prévio. Na altura mãe de um menino de 5 anos, razão para eu ter aguentado o choque e ter logo reagido o melhor possível à doença.

Não sou nenhuma super mulher, nem super mãe. Sou uma mãe, como todas as outras, que tentou reagir o melhor possível perante uma adversidade da vida. Desespero, choro, revolto-me como qualquer outra pessoa perante esta adversidade, no entanto aprendi que tinha apenas duas hipóteses para viver esta vida.

Ou vivia revoltada com o que aconteceu sendo infeliz e fazendo todos à minha volta também infelizes, ou adaptava-me e aprendia a conviver o melhor possível com a insuficiência renal.

Escolhi a única hipótese capaz para mim… ser feliz com a minha família e adaptando tudo o que ser insuficiente renal significa.

Acredito que tudo acontece por uma razão! E acredito que mesmo nas adversidades da vida podemos ser felizes. Eu sou!